De empregada a empreendedora

  • 23/04/2015
  • Coaching
  • 0 Comments

Ex-empregada doméstica decide fazer Coaching e, em oito meses, torna-se Projetista de Arquitetura.

 

Solange Rodrigues, de 30 anos, começou sua vida profissional aos 13, como empregada doméstica. Seu último emprego foi como caixa de um motel em Maringá/PR, onde trabalhava de 8 a 17 horas por dia, com apenas uma folga semanal. Em junho do ano passado ela me procurou buscando ajuda principalmente na parte financeira. Começamos então o processo de Coaching e, logo depois de concluirmos, ela tornou-se dona do próprio negócio e trabalha em casa, fazendo projetos arquitetônicos no computador. Essa revolução de vida permitiu a realização de um grande sonho: matricular o filho de 5 anos numa escola particular, começando assim a transformar a realidade de toda sua família.

 

No meio do ano passado, esgotada de trabalhar no motel e com dificuldades financeiras, Solange resolveu buscar ajuda para mudar essa situação e descobriu que um coach seria o profissional ideal para isso. Derrubando o mito de que Coaching é só para quem pode, Solange estava decidida a fazer acontecer. Como não encontrou um coach na sua cidade, ela pesquisou na internet um profissional que atendesse à distância, marcou uma conversa, negociou o pagamento em parcelas e instalou em seu computador o programa para as sessões online. “Confesso que no início fiquei com medo de não conseguir pagar tudo. Mas já na primeira sessão senti que a minha vida estava prestes a mudar e que tudo valeria a pena”, revela.

 

solange1A história de Solange mostra que, ao contrário do que muitos pensam, qualquer pessoa é capaz de ter um trabalho livre e apaixonante, independentemente da sua condição. O essencial é ter uma vontade grande a ponto de transformar-se em uma necessidade. No caso de Solange, o que a movia era a determinação de, em hipótese alguma, permitir que o filho passasse por tudo que ela passou durante a vida. “Não importava o que fosse preciso para ver o João Guilherme em uma escola particular. Se fosse necessário, até lixo eu cataria na rua”, desabafa ela.

 

O desafio de alcançar uma profissão que seja fonte de prosperidade e realização vai além da descoberta de uma grande paixão e do seu propósito de vida. No caso da Solange, ela sempre foi fascinada por desenhos e projetos de edificação, então já estava claro seu objetivo: trabalhar com construção civil. Mas para atingi-lo foi preciso desenvolver habilidades de planejamento, autocontrole, disciplina, paciência, otimismo e confiança.Logo comecei a acreditar que tinha capacidade de realizar todos os meus sonhos e objetivos e minha mente começou a se libertar de todos os medos e limitações”, declara Solange.

 

Obstáculos, claro, fizeram parte da trajetória, como por exemplo, algumas dívidas e a relação com o marido, que estava desempregado e em depressão. Mas, ao invés de se vitimizar, Solange decidiu enfrentar os problemas de cabeça erguida. “Eu aproveitava cada desafio para aumentar a minha capacidade de superação e eles serviam também para aumentar ainda mais a minha vontade de crescer profissionalmente”, explica. Ela percebeu que, como todo mundo, teria que lidar com coisas negativas a vida inteira e que, quanto mais atenção dava aos problemas, mais eles cresciam.

 

Clique aqui e conheça o Segredo do Sucesso Pessoal

 

Outra dificuldade que Solange encontrou foi de colocar em prática as ações estabelecidas nas sessões de Coaching, mas com esforço ela logo engrenou. “Em duas ou três semanas melhorei muito minha rotina, aprendi a fazer o que tem que ser feito. Descobri quanto tempo eu perdia dormindo e fiquei muito feliz comigo por todas as coisas que eu não sabia que era capaz de fazer. Percebi que eu estava mesmo precisando de um empurrão para acordar para a minha realidade”. E este era apenas o início das vitórias que estavam por vir.

 

Depois de quase três meses de Coaching e de algumas aulas particulares que contratou para dominar o software de desenho técnico, Solange já se sentia confiante para assumir um projeto arquitetônico. A captação de clientes ficou a cargo do marido, que assumiu a responsabilidade pela parte comercial. Juntas iniciamos um plano de ação e Solange definiu uma data para deixar o emprego no motel. Tudo acabou acontecendo conforme o planejado e em janeiro ela fechou seu primeiro cliente. No mês seguinte ela já estava imprimindo seu cartão de visitas e negociando uma parceria com uma arquiteta da cidade. “Antes do Coaching tudo era uma fantasia, um sonho distante, e agora é uma realidade! Posso dizer que me transformei em outra pessoa”, comemora ela. =)

  • Youtube
0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *